Alistamento de adolescentes sobe 51% e meninas lideram

  • por

De 2018 para cá, o alistamento eleitoral facultativo de adolescentes de 16 e 17 anos cresceu 51% no Brasil. Entre as meninas, o crescimento foi maior: há 63% a mais de jovens eleitoras do que havia em 2018. Esta análise leva em conta dados publicados na última sexta-feira pelo TSE.

Os 2,12 milhões de menores de 18 anos aptos a votar representam o maior índice registrado depois de 2010, quando 2,39 milhões foram aos Tribunais Regionais Eleitorais fazer seu alistamento eleitoral. Na eleição de 2014, a primeira após as jornadas de junho de 2013, houve 1,64 milhão de adolescentes aptos a votar. Na de 2018, houve 1,4 milhão.

Ao todo, o número final de recém-alistados menores de 18 anos é maior que o de 2010 no exterior (605,8%) e nestes Estados: DF (29,4%), RJ (18,9%), AM (13,3%), SP (7,4%) e RR (4,7%).

Nos últimos meses, houve uma série de iniciativas de artistas e da Justiça Eleitoral para estimular o voto adolescente, e a elas provavelmente se deve parte desse crescimento.

Marcações: