Mortes de trabalhadores: o impacto de uma análise

  • por

Na última semana de março, a newsletter Lagom Insights publicou sua primeira análise sobre os desligamentos por morte de trabalhadores do setor formal. Sabia-se que a reabertura da economia expunha os trabalhadores a mais riscos, mas não se fazia muita ideia sobre de que maneira. Alguns sindicatos faziam levantamentos pontuais, mas sem abrangência nacional.

(Caso a sua publicação ou entidade tenha interesse em um levantamento mais específico para suas necessidades, entre em contato.)

O jornal El Pais fez contato para publicarmos juntos uma análise mais aprofundada, no começo de abril. Esse material foi um sucesso em redes sociais, e deu origem a outros convites e reproduções da pauta. O Plural, de Curitiba, foi o primeiro a solicitar uma versão local. A colunista Dorrit Harazim citou a análise em O Globo, tanto nas versões do El Pais quanto do Plural. A newsletter Investigadora, da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, entrevistou Marcelo Soares sobre os bastidores desse trabalho.

Além desses, a Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca fez uma boa discussão sobre a saúde dos trabalhadores a partir da reportagem original. O site Brasil de Fato fez uma versão a partir do conteúdo da newsletter. Sem dar crédito, o Poder 360 também reproduziu os dados.

Com os dados da Caged atualizados até março, lancei uma nova edição da newsletter atualizando o impacto, e o Jornal da Globo noticiou essa análise.

Mais adiante, o Jornal Nacional buscou reproduzir a análise por ocupação, embora apenas com totais brutos, sem calcular o excesso de mortes por atividade.

No jornal O Tempo, de Minas Gerais, o repórter Cristiano Martins observou os dados na comparação com alguns anos anteriores à Covid (o Caged mudou de metodologia em 2020, mas isso parece ter afetado mais a captação de contratos temporários do que a das demissões).

Pedro Teixeira, ex-aluno do projeto Repórter do Futuro e primeiro colaborador do monitor do Coronavírus da Lagom Data, fez sua própria análise dos microdados da Caged e escreveu para a revista Globo Rural sobre as mortes de caminhoneiros no período da pandemia.

A análise da Lagom Data será atualizada mensalmente, sempre que forem atualizados os microdados do Caged.

 

SINDICATOS

Após a publicação da primeira análise, entidades que representam os trabalhadores de diversos setores também começaram a observar esse dado. (Todos querem ser incluídos como setor prioritário para vacinação.)

Entre eles, estão:

 

Caso sua entidade de representação profissional tenha interesse em uma análise desses dados, entre em contato.

Marcações: